Prefeito de São José reclama da dificuldade em contratar médicos

Mesmo com 35 médicos à disposição do HMST – Hospital Maternidade Santa Theresinha, em São José do Vale do Rio Preto, onde desse total, mais da metade são contratados de forma emergencial. Segundo divulgado, 19 contratos são renovados de seis em seis meses.

Conforme dito em entrevista, o prefeito Gilberto diz que tem dificuldades de manter os profissionais que passaram nos concursos.

“Nós teríamos de ter 7 pediatras concursados. Temos 4. E a gente faz concurso constantemente, só que o médico ele arruma um trabalho melhor e vai embora”, destacou Gilberto. Além dessa situação, outros fatores foram levantados pelo chefe do executivo, “nós temos problemas de estrada, de acesso, de salário, sendo a única vantagem que a gente tem para oferecer pro profissional é o salário em dia. Temos um calendário de pagamento que é sempre antes do dia 26 do mês”, informou o prefeito.

Sobre um novo concurso, Gilberto disse que até o final deste ano vai sair um novo edital para contratação de novos médicos. A expectativa do prefeito é que no início de janeiro de 2020, já possa estar convocando os novos profissionais aprovados.

O chefe do executivo destaca que o concurso para médico de família é terrível. Segundo ele, em três meses acabou. Foram todos os médicos embora. Gilberto disse que é muito difícil. Tendo que quase fazer um concurso semestral para médico.

O último concurso realizado em São José, foi em maio de 2017, que mesmo tendo sido renovado recentemente, não tem mais nenhum médico aprovado para ser chamado. Apenas outras profissões auxiliares que ainda estão tendo profissionais disponíveis para assumirem vagas conforme a necessidade.

Sobre a questão das diversas reclamações feitas por pacientes quanto ao atendimento de profissionais que ainda fazem parte do quadro de servidores médicos do hospital, Gilberto disse que mesmo sabendo da problemática, prefere manter a profissional. “Não temos nenhum profissional que se interesse para suprir a demanda. A gente tem que mantê-la lá porque temos a obrigação de ter um pediatra 24 horas no nosso pronto socorro. Então, a gente tá mantendo e buscando alternativas”, enfatizou o prefeito.

Gilberto disse que tem ciência das reclamações, que chegam através do setor de ouvidoria, mas que não pode ficar sem. E a médica em questão, é uma pediatra, que tem seu registro normalmente. O prefeito finalizou a entrevista, destacando que o hospital não pode ficar sem um plantonista.

Com informações do RJ Inter TV

Anúncios