São José: Mais um jovem tenta suicídio na cidade

Não é a primeira vez que jovens estão sendo vítimas das garras do suicídio em São José do Vale do Rio Preto. Um jovem de 28 anos tentou contra sua própria vida nesta segunda-feira dia 09, no bairro de Camboatá.

Segundo informações atualizadas da Polícia Militar, por volta das 20h15, a guarnição recebeu uma ligação anônima via 190, dando conta de que um homem havia cometido suicídio por enforcamento. Os policiais seguiram até o local, sendo informados por populares que a vítima já estaria morta há pelo menos 15 minutos. Os oficiais seguiram por uma área de mata no alto de uma escadaria, próxima a residência do jovem. O rapaz estava caído aos pés de uma árvore com um lençol amarrado no pescoço que foi cortado por populares que o encontraram. A guarnição não identificou nenhuma reação ou sinais vitais no jovem. Imediatamente o Cabo Ázara procurou por sinais de pulso na vítima e iniciou respiração boca a boca, com massagem cardíaca, momento em que percebeu um fraco sinal de pulsação.

Com a ajuda do Soldado Salema e de populares, a vítima foi colocada na viatura e encaminhada até o HMST – Hospital Maternidade Santa Theresinha.

Durante o todo o trajeto, foram feitas contínuas tentativas de manter o pulso da vítima e reanimação. Os Sargentos Furtado e Fábio informaram ao Subtenente Geraldo todo o procedimento adotado no local e o deslocamento para a unidade hospitalar. Chegando no hospital uma equipe médica comandada pela Doutora Gleicimar, com apoio dos socorristas do SAMU, conduziram a vítima para a emergência.

Segundo informado, cerca de uma hora depois, a equipe médica comunicou que a vítima chegou em estado gravíssimo, com sintomas de overdose de drogas além do enforcamento; porém, ainda estaria com vida e estabilizada, necessitando de internação por alguns dias.

A ocorrência foi apresentada na 104ª DP, sendo informado que no caso de tentativa de suicídio, não cabe registro de ocorrência, apenas a confecção de um RCA.

A guarnição comandada pelo Subtenente Geraldo, teve o apoio do 2° Sargento Furtado, 2° Sargento Fábio, Cabo Ázara e Soldado Salema.

O suicídio tem grande porcentagem de ser praticado por conta da depressão, uma doença grave e que muita das vezes é levada na zoação. Mesmo sendo grave, a doença tem cura, se tratada com ajuda de médicos e o apoio dos amigos e familiares, que é fundamental para as vítimas poderem se restabelecer. Em praticamente todos os casos já relatados ou acontecidos em São José, as vítimas tinham algum vínculo com a doença.

Amigos contam que o rapaz sempre demonstrou ser alegre, esforçado, mas que estava passando por problemas e que poderia estar sofrendo com depressão. Dias atrás, o jovem havia pedido emprego em algumas empresas da cidade, alegando que estava precisando muito de um trabalho e aguardava por uma resposta positiva.

Não ter nenhum mecanismo que traga aos jovens mais oportunidades de emprego, diversão, valorização das práticas esportivas na cidade, opções de lazer, tratamentos para quem já está em algum estágio da doença e precisa de ajuda, tem sido um fator culminante no crescimento de vítimas que acabam encontrando o suicídio como uma opção.

Nas redes sociais os amigos demonstraram torcida pela rápida recuperação do jovem, desejando que ele encontre saúde, fortalecimento espiritual e uma vaga de emprego.

Em todo o Brasil, pessoas podem utilizar o Disque-Prevenção de suicídio, através do número 188, que é gratuito.

O CVV – Centro de Valorização da Vida realiza apoio emocional e prevenção do suicídio, atendendo voluntária e gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo por telefone, email e chat 24 horas todos os dias.

Segundo o Ministério da Saúde, o suicídio é considerado como um problema de saúde pública, que vem tirando a vida de uma pessoa por hora no Brasil, mesmo período no qual outras três tentaram se matar sem sucesso.

Em contato com a Secretaria Municipal de Saúde, fomos informados que as pessoas que precisarem de ajuda no tratamento e prevenção dos sintomas da depressão, podem entrar em contato com a USF – Unidade de Saúde da Família de seu próprio bairro, no Ambulatório de Saúde Mental, ou diretamente no CAPS – Centro de Atenção Psicossocial, que faz o acompanhamento daqueles que buscam ajuda no tratamento de suicídios, álcool e drogas.