São José: Homens armados são presos após roubarem a construtora da PCH de Poço Fundo

Quatro homens foram presos na madrugada desta segunda-feira dia 16, na Estrada Silveira da Motta, no bairro de Jaguara, após praticarem um assalto à mão armada e ameaçarem os funcionários da empresa Siton, responsável pelas obras de construção da PCH – Pequena Central Hidrelétrica de Poço Fundo, na Rodovia Bianor Martins Esteves, em São José do Vale do Rio Preto.

Segundo informações da 2ª CIA do DPO vale riopretano, os quatro elementos começaram a agir no final da noite deste domingo, onde chegaram no local por volta das 23h, anunciando o assalto. Os bandidos estavam em um veículo Fiat/Palio de cor prata e um caminhão baú de cor branca.

De acordo com o testemunho das vítimas, além de sofrerem ameaças de morte, chegaram a ter as suas mãos amarradas, além de ficarem amordaçados e vendados com fita adesiva. Os vigias contam que por volta da 00h30, eles foram amarrados um ao outro, tendo seus celulares pegos e descartados. Após roubarem um vasto material da empresa, os bandidos deixaram o local.

Um dos vigias conseguiu se soltar e libertar o outro companheiro de trabalho. Os dois seguiram até o DPO de São José, para informar os policiais sobre o ocorrido. Porém, quando estavam a caminho do departamento policial, avistaram os dois veículos usados na ação criminosa. Conforme os seguranças relataram, eles reduziram a velocidade com medo de serem reconhecidos e deixaram os Fiat/Palio e o caminhão sumirem de vista para procederem até o DPO do Centro da cidade.

Por volta de 01h da madrugada, os dois vigias chegaram na unidade policial, contando todos os detalhes do assalto. Diante das informações, a guarnição comandada pelo Subtenente Geraldo, procedeu em encaminhar uma fração do efetivo, para montar um cerco em frente ao DPO de Jaguara, e outra parte dos policiais, foi em busca dos dois veículos.

A fração do efetivo que estava no DPO de Jaguara, interceptou o Fiat/Palio com dois ocupantes, e após revistas, mandou fotos para o plantão do DPO do Centro, onde as vítimas reconheceram ambos. Enquanto o automóvel era abordado, os policiais também avistaram o caminhão branco entrando no posto de combustíveis próximo ao DPO. A outra fração da guarnição foi informada da situação, que seguiu para o local e logrou êxito em encontrar o veículo escondido entre as carretas que normalmente ficam estacionadas no pátio do posto.

Os policiais avistaram os outros dois acusados, que estavam dentro do caminhão, além de terem encontrado todo o material roubado na ação.

Foram apreendidos um revólver calibre 38, bem como seis munições intactas de mesmo calibre da arma, uma touca ninja, uma balaclava, um par de luvas, um boné e um rolo de fita adesiva. Os veículos usados na ação criminosa, um Fiat/Palio prata, placa LKO-3001 e um caminhão modelo VW/8.140 branco, placas MRH-3G58, também foram apreendidos.

Os materiais roubados e recuperados foram quatro rádios transmissores, dois notebooks, cinco rolos de fio de cobre de 120mm (com 200 metros cada rolo), quatro rolos de fio de cobre parcialmente consumidos (aproximadamente 600 metros), duas serras circulares, três máquinas de solda, trinta e uma varas de cobre (usadas para aterramento), uma serra tico-tico, uma lixadeira, três furadeiras, e uma maleta com ferramentas diversas.

De acordo com os policiais, durante a abordagem e buscas feitas nos veículos, um dos acusados chegou a oferecer a quantia de R$ 10 mil reais para que a guarnição liberasse os quatro bandidos sem efetuarem o registro de ocorrência.

Diante da situação, os policiais procederam até à 104ª DP, apresentando a ocorrência ao delegado de plantão, que direcionou o registro para a central de flagrantes da 110ª DP de Teresópolis.

Os quatro acusados foram presos pelos crimes de roubo e formação de quadrilha. Já o responsável por tentar subornar os policiais, que já tinha quatro anotações criminais, dentre elas por homicídio e roubo a mão armada, também foi enquadrado no crime de corrupção ativa.

Segundo apontado, a quadrilha seria da cidade de Xerém, no Rio de Janeiro. O valor estimado de todo o material roubado, gira em torno de R$ 150 mil reais.

A guarnição comandada pelo Subtenente Geraldo, teve o auxílio do 2° Sargento Furtado, 2° Sargento Fábio, Cabo Ázara e Soldado Salema, além do apoio do Subtenente Benevides e 2º Sargento Cristiano, bem como do Cabo Pereira, que colaborou no cerco contra os bandidos, mesmo estando de férias.

O registro foi feito sob o boletim nº 3311392 e a ocorrência nº 110-06677/2019.

(Imagens: Divulgação DPO de São José do Vale do Rio Preto