Coronavírus: Número dois da Saúde recomenda que não haja missas ou cultos nas igrejas por Covid-19

O secretário-executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo dos Reis, informou neste sábado que a recomendação para evitar aglomerações por conta da Covid-19 é válida também para igrejas e cultos. Assim, ele pede que não sejam feitas nem missas nem cultos para evitar a possibilidade de contaminação pelo novo coronavírus, que já matou 18 pessoas no Brasil. Por outro lado, Gabbardo disse que as igrejas podem ficar abertas para as pessoas irem até lá rezar.

Em entrevista ao Programa do Ratinho, no SBT, o presidente Jair Bolsonaro disse que as igrejas devem ficar abertas, e que o pastor ou padre vai saber conduzir a cerimônia e decidir o que fazer se o local estiver muito cheio.

“A igreja pode ficar aberta para as pessoas rezarem. A nossa recomendação é que não se façam nem missas, nem cultos, para que não haja aglomeração de pessoas”, disse o secretário-executivo em entrevista coletiva realizada de forma virtual para diminuir os riscos de contaminação.

Gabbardo, que é o número dois da pasta, abaixo apenas do ministro Luiz Henrique Mandetta, explicou que a recomendação de evitar aglomerações vale não apenas para igrejas, mas também para eventos esportivos e culturais.

“É geral e vale para todos os cultos religiosos, eventos esportivos, eventos culturais. Todos eles têm a recomendação de evitar aglomeração. Isso não significa fechar a igreja. Ela pode ficar aberta e alguém ir lá rezar. Não tem problema nenhum. O que estamos recomendando é que não faça evento com que haja aglomeração de pessoas, seja de qualquer igreja, seja ele esportivo, seja ele cultural“, afirmou Gabbardo.

Em entrevista ao Programa do Ratinho, Bolsonaro se mostrou favorável à realização de cultos.

“Tem gente que quer fechar igreja. O último refúgio das pessoas… Lógico, o pastor vai saber conduzir seu culto. Ele vai ter consciência, o pastor ou padre, se a igreja está muito cheia, falar alguma coisa, ele vai decidir lá. Até porque a garantia de culto e proteção ao ambiente do mesmo é garantida pela Constituição. Não pode um prefeito ou governador achar que não vai ter mais culto”, disse Bolsonaro.

Na entrevista coletiva, Gabbardo também disse que não tem problema levar o cachorro para passear. O cuidado que deve ser com o uso do elevador para descer, uma vez que é um ambiente fechado que pode ajudar na propagação do vírus.

Fonte: Jornal Extra

Envie denúncias, informações, reclamações, vídeos e fotos para o WhatsApp ou Telegram da Rede Info News (32) 9 9803-5633, e conte para nossa equipe como está a situação do seu bairro ou região.