Petrópolis: Ônibus da empresa Cidade Real seguem parados na garagem; Funcionários pedem melhorias e pagamentos extras

Quase 70 funcionários da empresa de transporte público Cidade Real paralisaram as atividades desde às 4h desta terça-feira (12). Eles alegam que “estão se manifestando a respeito das últimas decisões que prejudicaram a vida financeira e profissional dos colaboradores. (…) a maioria esmagadora dessas decisões, foram tomadas sem sequer avisar os funcionários e liados.”

Em uma carta de reivindicações, os funcionários pedem a volta imediata dos cobradores; pagamento de horas extras e feriados; m da hora do almoço ou intervalo, que segundo eles, é descontado das horas extras; ajuste nos horários de início e m de jornada; promoção dos motoristas Junior. Além dessas reivindicações, a carta traz informações de que funcionários estão sendo coagidos a procurar a justiça quando buscam seus direitos e denuncia o superfaturamento nos valores das avarias nos veículos, que segundo a carta são cobradas dos colaboradores.

Os bairros Bingen, Mosela e Caxambú (linha Elisa Mussel) estão sem ônibus desde às 4h. Não há previsão de retomada das atividades. Segundo os funcionários que aderiram à paralisação, só depois de serem recebidos pela diretoria da empresa haverá negociação.

No Terminal Centro, local de parada dos ônibus da Cidade Real, as pessoas aguardam sem saber o que está acontecendo, há pelo menos cinco horas. O Sindicato das Empresas de Transportes Rodoviários de Petrópolis, Setranspetro, informou que não reconhece como legítimo o movimento, pois todos os benefícios e salários estão em dia. Disse, ainda que os dirigentes da empresa estão em diálogo com os funcionários.

Prefeitura vai entrar com pedido de medida cautelar para garantir retorno dos ônibus

A Prefeitura de Petrópolis, por meio da Procuradoria Geral do Município, informou em nota, que está entrando com ação cautelar para garantir o imediato restabelecimento da circulação dos ônibus da empresa Cidade Real. Os rodoviários cruzaram os braços na manhã desta terça-feira (12).

Em uma carta de reivindicações, a categoria pede a volta imediata dos cobradores; pagamento de horas extras e feriados; m da hora do almoço ou intervalo, que segundo eles, é descontado das horas extras; ajuste nos horários de início e m de jornada; promoção dos motoristas Junior. Além dessas reivindicações, a carta traz informações de que funcionários estão sendo coagidos a procurar a justiça quando buscam seus direitos e denuncia o superfaturamento nos valores das avarias nos veículos, que segundo a carta são cobradas dos colaboradores.. Até o momento, os trabalhadores permanecem na garagem da empresa, no Independência. Ainda não há acordo entre a categoria e empresa.

Cerca de 30 linhas estão fora de operação. A Cidade Real atende as regiões do Bingen, Mosela e na localidade do Elisia Mussel, no Caxambu.

Na nota, a Prefeitura ressaltou que “a paralisação é ilegal, feita em meio a negociações entre empresa e sindicato e sem o cumprimento de dispositivos legais que exigem a realização de assembleia e comunicação prévia. O governo municipal frisa que considera legítima a manifestação e a luta por melhorias, desde que com o cumprimento da lei, sob pena de graves prejuízos à população, especialmente neste momento de pandemia”.

Fonte: Tribuna de Petrópolis

Envie denúncias, informações, reclamações, vídeos e fotos para o WhatsApp ou Telegram da Rede Info News (32) 9 9803-5633, e conte para nossa equipe como está a situação do seu bairro ou região.

Rádio Rede Info News – Ouça agora!!!